Nos últimos anos o stress no trabalho tem ganho uma importância crescente no mundo laboral pelo seu impacto negativo, quer na saúde física/psicológica do colaborador, quer no funcionamento e produtividade das empresas/organizações.

Em 2014, a Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho lançou a campanha “Locais de trabalho saudáveis” que alertava já para uma adequada gestão do stress no local de trabalho.
Em 2017, a Organização Mundial de Saúde elegeu a saúde mental no trabalho como tema do Dia Mundial de Saúde Mental.
Já em 2019, a Organização Mundial de Saúde reconheceu o burnout como um fenómeno ocupacional a ser incluído na nova versão da Classificação Internacional das Doenças.

O burnout consiste num estado de esgotamento físico e psicológico resultante de uma resposta desadequada ao stress crónico no trabalho, acompanhado de sentimentos de indiferença e desinvestimento nas tarefas, expressos em atitudes frias/cínicas no trabalho (nomeadamente com clientes), conflitos nas equipas de trabalho, um menor desempenho e desmotivação/prazer no trabalho.

Em 2020 a pandemia COVID-19 veio alterar o regime de trabalho presencial para o regime de teletrabalho, criando fontes adicionais de stress e tendo um impacto ainda maior na saúde psicológica/mental de todos.

O que fazemos

Desde há alguns anos que estudamos a saúde ocupacional de diferentes grupos profissionais, focando-nos nos fatores de risco de adoecimento no trabalho (ex: stress, burnout, ansiedade, depressão) e nos fatores protetores (ex: resiliência, coping, motivação/compromisso/satisfação laboral, felicidade no trabalho e bem-estar), numa perspetiva individual de promoção da saúde ocupacional e de auto-consciência das fontes de stress no trabalho e das estratégias de lidar com o mesmo.

Objetivos

Pretende-se monitorizar, durante um determinado período de tempo, os níveis de stress no trabalho e de burnout, bem como outros indicadores de mal-estar psicológico, no sentido de consciencializar colaboradores, empresas e organizações dos efeitos negativos do stress no trabalho e da necessidade de o prevenir, antes de se transformar em burnout ou noutras formas de adoecer psicológico (ex: depressão, perturbações da ansiedade).

Programa HI4BSTRESS

O projeto Hi4BStress centra-se no estudo do burnout e stress no trabalho e permite disponibilizar a colaboradores e empresas / organizações, a monitorização longitudinal, através de questionários online os resultados individuais e globais do estado psicológico.

Processo

Abordagem à Empresa
  • Envio de proposta do estudo do stress no trabalho ou teletrabalho

Conference Call
  • Contacto direto entre empresa / Organização - equipa para uma breve reunião para esclarecer dúvidas
  • Seleção dos participantes pela empresa / Organização e divulgação do estudo

Momento 1 Registo e Caracterização
  • Atribuição de um código após contacto de email de cada participante
  • Características sociodemográficas, profissionais, da situação face à COVID-19, de trabalho ou teletrabalho através do preenchimento de um questionário inicial
  • Fontes de Stress no trabalho/teletrabalho
  • Resiliência + Coping resiliente

Momento 2
Questionário
Follow-up Semanal
  • Situação face à COVID-19
  • Estados emocionais negativos
  • Stress, ansiedade e depressão
  • Bem-estar
  • Estratégias de gestão do stress

Momento 3
Questionário
Follow-up Mensal
  • Felicidade no trabalho
  • Ansiedade, Depressão, Stress
  • Burnout
  • Conteúdos breves de psicoeducação

Finalização
  • Devolução de resultados à empresa/colaboradores
  • Identificação de casos críticos (anonimizados), partilha de conteúdos breves de psicoeducação e abordagem de soluções

Equipa Científica

Simão Oliveira

  • Coordenador do Projeto HI4BStress
  • Coordenador de Projetos da SOMSII em parceria com a FPCEUP
  • Estudante MIP na FPCEUP e investigador no LabRP da FPCEUP

Cristina Queirós

  • Coordenador do Projeto HI4BStress
  • Professora na FPCEUP e Diretora do LabRP da FPCEUP
  • Investigadora do CPUP
  • Estuda o burnout, stress e trauma em grupos profissionais variados

Sílvia M. Fonseca

  • Psicóloga e Doutoranda (Bolsa FCT)
  • Investigadora do CPUP e do LabRP da FPCEUP, estuda a Saúde Psicológica/Ocupacional e profissionais de emergência.

Sara Faria

  • Psicóloga e Doutoranda FPCEUP
  • Investigadora do LabRP da FPCEUP, estuda a Saúde Ocupacional nas Organizações

Contacte-nos